“Esse é o momento mais difícil da história do biodiesel no Brasil”

18 de Novembro de 2021

Redução do porcentual do biodiesel no diesel e fim dos leilões para compra preocupam, alerta Lupion


Durante reunião da Frente Parlamentar Mista do Biodiesel (FPBIO) com a Frente Parlamentar da Agropecuária, o deputado federal Pedro Lupion (PR) demonstrou preocupação com o momento que os biocombustíveis atravessam no país.

Eventos recentes, como a redução do porcentual de 13% para 10% do biodiesel no diesel comercial, vendido nos postos de gasolina, e a decisão do governo federal de encerrar o modelo de leilões para compra do combustível, têm gerado apreensão entre os principais agentes do setor.

“Esse é o momento mais difícil da história do biodiesel no Brasil. Estamos falando do risco do fim de um setor tão importante para o país. Não estou sendo fatalista ou dramático”, alertou o deputado, que justificou a frase com as dificuldades que os produtores atravessam no país.

“A redução do B13 para o B10, o fim dos leilões, o dólar extremamente sobretaxado além das dificuldades pelo valor de combustíveis fósseis, matérias-primas com preço elevado. E justamente neste momento, a agricultura familiar, que é responsável pela produção de praticamente 80% do biodiesel do país, é quem mais sofre, com o cenário inseguro no setor”.

Durante a reunião, Pedro Lupion pediu um esforço de parlamentares dos principais estados produtores do país, como o Paraná, Minas Gerais e Goiás. Ele explicou a importância da produção de biodiesel, produzido principalmente por esmagamento de soja e sebo bovino.

“A cadeia de produção está interligada com nossa agropecuária. Precisamos cada vez mais de esmagamento de soja, pra termos mais farelo, para produzirmos mais alimento para o rebanho e gerar proteína animal. Ou seja, a gente precisa dessa cadeia funcionando e o biodiesel faz parte disso”.

O deputado questionou, ainda, por que um setor significativo para a economia nacional, como o biodiesel, inclusive com um selo social do setor, precisa “pagar a conta pelo aumento do custo do combustível fóssil.” E lembrou que o Brasil acaba de assumir compromissos a favor do meio ambiente na conferência mundial COP26.

O mundo inteiro está caminhando para a diminuição do uso de combustíveis fósseis. Nós, infelizmente, estamos fazendo exatamente o contrário”, finalizou.