Para Efraim Filho, fim do foro privilegiado pode ser votado ainda este mês

08 de Novembro de 2018

“Não voltaremos há um passado que não deixou saudades, pois quem olha pelo retrovisor é quem quer caminhar para trás. O que nós pretendemos é evoluir do ponto de vista da cidadania, do combate à corrupção e da impunidade”

Dep. Efraim Filho - 07_11_2018 (42)

O relator da PEC 333/17, sobre o fim do foro privilegiado, deputado Efraim Filho (PB), disse que está convicto que seu parecer vai avançar. “Não voltaremos há um passado que não deixou saudades, pois quem olha pelo retrovisor é quem quer caminhar para trás. O que nós pretendemos é evoluir do ponto de vista da cidadania, do combate à corrupção e da impunidade”, afirmou Efraim Filho.
Ainda de acordo com o parlamentar, as oitivas e as audiências públicas cumpriram o seu papel e agora é preparar o relatório para ser votado na comissão até o final do mês de novembro. Ele informou ainda que gostaria de ouvir o juiz federal Sérgio Moro, ministro da Justiça no governo Bolsonaro, que foi convidado para expor sua opinião sobre a matéria, antes de ser anunciado ministro, mas agora com o compromisso assumido não sabe se ele comparecerá ou não à comissão especial.
Efraim Filho destacou ainda o posicionamento do STF. “Independentemente dele (Sérgio Moro) vir ou não, nós já temos uma posição do Supremo (Tribunal Federal), que é o guardião da Constituição, expressa pelos seus 11 ministros. Suas opiniões balizam as nossas discussões e que serão levadas em consideração na hora da elaboração do parecer”, observou o parlamentar.
Por último, Efraim Filho confirmou que seu parecer será apresentado ainda neste mês. “Estou trabalhando para apresentar até o fim de novembro para permitir que a Comissão Especial julgue o parecer antes do término da legislatura já que, em virtude de estarmos sob intervenção federal no Rio de Janeiro, a PEC está impossibilitada de ser votada pelo plenário da casa”, concluiu Efraim Filho.
Foram convidados para participar da audiência desta quarta-feira, o vice-presidente da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal, Dr. Luciano Soares Leiro, o diretor da Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo, Dr. Arnaldo Rocha Júnior, e o presidente da Federação Nacional de Entidades de Oficiais Militares Estaduais, coronel Marlon Jorge Teza.