Norma Ayub e Mandetta coordenam debate sobre cardiopatia congênita

12 de Junho de 2018

Norma Ayub disse que o assunto merece maior atenção do Estado “O atendimento integral à criança com cardiopatia no Brasil ainda é um dos maiores desafios do SUS”, alertou.

mandetta

A Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF) promoveu nesta terça-feira (12), uma audiência pública sobre o Dia da Conscientização da Cardiopatia Congênita. O requerimento foi da deputada Norma Ayub (ES) e Mandetta (MS), que presidiu o debate.

Mandetta, que é médico, enfatizou a necessidade de se debater o tema. “A incidência das cardiopatias congênitas é de oito a 10 por 1000 nascidos vivos”, afirmou. O parlamentar também explicou que a Cardiopatia congênita é qualquer alteração na anatomia do coração e de seus vasos sanguíneos (veias e artérias) que surge antes mesmo do nascimento do bebê, nas primeiras oito semanas de gestação.

O deputado ressaltou também que as malformações congênitas representam a segunda principal causa de mortalidade em menores de um ano de idade, “sendo as cardiopatias congênitas as mais frequentes e com alta mortalidade no primeiro ano de vida no Brasil e a terceira causa de morte até 30 dias de vida”, acrescentou.

Norma Ayub disse que o assunto merece maior atenção do Estado “O atendimento integral à criança com cardiopatia no Brasil ainda é um dos maiores desafios do SUS”, alertou. “As dimensões continentais de nosso país e a distribuição geográfica desigual dos centros de referência de cardiologia e cirurgia pediátrica são fatores determinantes neste processo”, apontou.