LDO é aprovada no Congresso e Líder Rodrigo Garcia defende reformas no Estado

12 de Julho de 2018

O líder do Democratas na Câmara, deputado Rodrigo Garcia (SP), ressaltou que a lei votada aponta um déficit de R$ 139 bilhões para 2019, o que significa ainda um longo desafio a ser superado.

rg12
O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou na noite desta quarta-feira (11) a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). A LDO é o último projeto que o Congresso Nacional vota antes de entrar em recesso. O líder do Democratas na Câmara, deputado Rodrigo Garcia (SP), ressaltou que a lei votada aponta um déficit de R$ 139 bilhões para 2019, o que significa ainda um longo desafio a ser superado.
“O próximo Presidente da República vai enfrentar um déficit fiscal agudo, que avançará não somente a 2019, mas que deve chegar pelo menos ao ano de 2021. E para que ele enfrente isso e melhore a situação fiscal, será necessário fazer o enxugamento da máquina pública”, afirmou o líder. “Do jeito que vamos, será forçoso aumentar impostos, e a sociedade não admite mais este tipo de medida”, alertou.
Apesar das atividades legislativas regressarem apenas em agosto, Rodrigo Garcia lembrou a importância do Parlamento não abandonar matérias importantes, como a votação final do Cadastro Positivo, que melhora a situação econômica do Brasil e do consumidor, e o projeto que determina os bloqueadores de celulares nos presídios, que é fundamental no combate à violência.
Finalmente, o deputado paulista reforçou a urgência de se fazer uma profunda reforma no Estado Brasileiro a partir de 2019, para que não seja necessário aumentar o déficit ou os impostos. “É imprescindível um Estado mais eficiente e que dê mais oportunidades para os brasileiros, ainda que inicialmente isso implique alguns sacrifícios”, concluiu ele.