Homeschooling em debate na Câmara dos Deputados

06 de Abril de 2021

Enquanto entidades de educação divergem sobre ensino domiciliar, deputados Sóstenes Cavalcante e Alan Rick defendem a regulamentação da prática

Em debate promovido na Câmara dos Deputados, na última segunda-feira (5), representantes do governo federal e de entidades nacionais, estaduais e municipais da área de educação, divergiram sobre a regulamentação do ensino domiciliar no Brasil, também conhecido pelo termo em inglês “homeschooling”.

O deputado Sóstenes Cavalcante (RJ) defende o ensino domiciliar como modalidade legítima de educação e lembra que a prática é permitida em vários países desenvolvidos. “A educação brasileira, com o homeschooling, terá menos doutrinação ideológica e melhor qualidade de aprendizado. É importante a aprovação dessa matéria o quanto antes, para igualarmos a educação brasileira a países altamente avançados, que já praticam o homeschooling”, afirmou o deputado.

O deputado Alan Rick (AC) concorda com o colega de partido. “A educação domiciliar é praticada em quase setenta países membros da OCDE. Os dados da HSLDA – Home School Legal Defense Association, e da própria ANED – Associação Nacional de Educação Domiciliar, comprovam que a esmagadora maioria dos jovens educados em casa são aprovados com louvor nas universidades de seus países”, disse ele.

Para o parlamentar do Acre, as críticas quanto à falta de socialização dos estudantes e até mesmo as questões religiosas não passam de uma falácia para encobrir a perseguição política ao homeschooling no Brasil.