Conter crescimento das despesas obrigatórias está entre as prioridades da bancada do Democratas na Câmara

10 de Setembro de 2019

Na semana passada, o deputado Sóstenes Cavalcante apresentou seu parecer favorável à proposta. Autor da PEC 438/18, o deputado Pedro Paulo (DEM-RJ) defende o fim da possibilidade do envio de crédito suplementar.

48134009652_4ac3a2b3d3_zAtentos à necessidade de ajuste fiscal, os deputados do Democratas defendem a necessidade de aprovação da chamada PEC que visa conter o crescimento das despesas obrigatórias e regulamentar a regra de ouro. A proposta é de autoria do deputado Pedro Paulo (RJ) e está sendo relatada, na Comissão de Constituição, Justiça e de Cidadania (CCJC), pelo deputado Sóstenes Cavalcante (RJ).
O líder do Democratas, deputado Elmar Nascimento (BA), afirma que é necessário tomar medidas para aliviar a situação fiscal do País e que a PEC se apresenta como uma das alternativas que pode ter o apoio do Congresso. “Pode ter apoio na Casa, mas acho que é o tipo de coisa que, por mais que a iniciativa tenha sido do parlamento, não dá para avançar sem a parceria do governo. Se o próprio ministério da Economia não se convencer de que esse seja um bom caminho, não vejo como avançar”, argumenta.
Na semana passada, o deputado Sóstenes Cavalcante apresentou seu parecer favorável à proposta. Autor da PEC 438/18, o deputado Pedro Paulo (DEM-RJ) defende o fim da possibilidade do envio de crédito suplementar.
“O governo está descumprindo a regra de ouro. Endivida-se para pagar despesas correntes. E a correção disso não é simplesmente um pedido para gerar mais dívida. Temos de corrigir o problema”, diz Pedro Paulo.