Alberto Fraga critica falhas na segurança pública no Brasil

20 de Março de 2015

  O deputado federal Alberto Fraga (DF), presidente da Frente Parlamentar de Segurança Pública, ocupou o plenário da Câmara dos deputados nesta sexta (20), para criticar a gestão da segurança pública no governo federal. Fraga apresentou números de homicídios no Brasil, que salta de 53 mil em 2013 para 64 mil, em 2014. “O Brasil … Continue lendo Alberto Fraga critica falhas na segurança pública no Brasil

 16251169824_0a43ba3fd3_z

O deputado federal Alberto Fraga (DF), presidente da Frente Parlamentar de Segurança Pública, ocupou o plenário da Câmara dos deputados nesta sexta (20), para criticar a gestão da segurança pública no governo federal.

Fraga apresentou números de homicídios no Brasil, que salta de 53 mil em 2013 para 64 mil, em 2014. “O Brasil ocupa o primeiro lugar no mundo em assassinatos. Em segundo lugar vem a Índia, com 52 mil”, afirmou. “Mas façamos um paralelo: o Brasil tem 200 milhões de habitantes, enquanto a Índia tem 1,3 bilhão de habitantes”, completou.

O deputado falou também do número absurdo de estupros no país. “São 50 mil casos registrados por ano” informou. “Mas os números reais são muito maiores, já que apenas 35% das vítimas procuram delegacias para fazer ocorrência”, disse.

A situação dos presídios também foi alvo de crítica do parlamentar. “Os presídios no Brasil são verdadeiros depósitos de gente”, denunciou. “Além disso, o custo por preso é de R$ 46 mil ao ano”, afirmou e questionou porque o governo federal, por meio do Ministério da Justiça, não institui o trabalho obrigatório para presos. “Entre outras coisas, isso ajudaria a ressocializar os presidiários, já que de cada 10 presos, sete voltam aos presídios como reincidentes”.

O deputado afirmou também que a Frente Parlamentar vai revisar o Estatuto do Desarmamento, diminuir a maioridade penal e acabar com privilégios de presos, como o “saídão”. “Nossa Frente tem mais de 300 parlamentares e nós vamos instituir as mudanças que esse governo incompetente não faz”, falou. “Enquanto eu tiver voz eu vou estar ao lado do povo brasileiro”, finalizou.

Matéria publicada dia 20/03/2015