A Oposição confiável

08 de Dezembro de 2011

Fonte: Deysi Cioccari A Oposição confiável Primeiro, é bom lembrar que nem o ex-presidente Lula nem a Presidente Dilma descobriram o Brasil. O que me consta é que o Brasil foi descoberto não por nenhum petista. Coitado de Pedro Álvares Cabral tendo a sua função sub-rogada pelo PT! Segundo, que nós não fazemos oposição pela … Continue lendo A Oposição confiável

Fonte: Deysi Cioccari

A Oposição confiável

Foto: Sidney Lins Jr.

Primeiro, é bom lembrar que nem o ex-presidente Lula nem a Presidente Dilma descobriram o Brasil. O que me consta é que o Brasil foi descoberto não por nenhum petista. Coitado de Pedro Álvares Cabral tendo a sua função sub-rogada pelo PT!
Segundo, que nós não fazemos oposição pela pura e simples arte de ficar contra. E a maior demonstração disso é que vamos votar a favor desse projeto. Aqueles que se opõem por se opor estão contra tudo. O Democratas não é contra esse projeto, é a favor desse projeto.

E eu acho muito bom falar em história para resgatarmos dois pontos importantes da história recente do País. Primeiro, se hoje o Brasil é um País que tem estabilidade econômica, tem fundamentos econômicos muito sólidos e cresce, deve se render todas as homenagens ao esforço de estabilização da economia que foi feito, de recuperação da moeda e de implantação do Plano Real, arquitetado pelos ex-presidentes Itamar Franco e Fernando Henrique Cardoso.

Segundo fato histórico importante é que, diferente da oposição do presente, que é uma oposição responsável e consciente, o PT fazia uma oposição, no passado, irresponsável, que só se preocupava em jogar para a plateia.

Quem aqui não se recorda de o PT ocupar as praças públicas deste País, fazer passeatas, e até invadir as galerias do Congresso Nacional, levantando faixas e cartazes, ecoando músicas para pregar o “Fora FMI”? Essa era a lógica do PT.

Nós, não. Nós tínhamos consciência do que devia ser feito no passado e fizemos. E por que fizemos? Até mesmo adotando medidas duras, viabilizamos que hoje o Brasil fosse um País respeitado, um País que cresce e um País que deve ter, sim, cada vez mais uma inserção e uma presença notável no cenário internacional.

Eu defendo esse projeto, porque o Brasil deve dar a sua parcela de contribuição. No momento em que o mundo inteiro enfrenta crise econômica grave, o Brasil deve mostrar que se tornou uma Nação mais forte, mais desenvolvida e mais capaz de ser ouvida e respeitada em todos os âmbitos de discussão internacional.

Mas não queira o PT, não queira o ex-presidente da República e não queira a Presidenta Dilma chamar para si os louros e as responsabilidades pelo que acontece hoje no Brasil. Pelo contrário, talvez, o Brasil pudesse estar crescendo muito mais. Essa é a verdade.
Nós poderíamos ter uma economia muito mais sustentada se as coisas fossem feitas como deveriam ser, a começar pela contenção do gasto público, pela diminuição da farra e da gastança que acontecem com a máquina pública federal. E o PT não tem compromisso com isso.

Vamos aproveitar este momento, que eu considero um momento importante, para fazer um alerta, um alerta às futuras gerações, porque se nós não tivermos cuidado, ficarmos deitados em berço esplêndido, admitirmos que vai tudo as mil maravilhas, surpresas negativas podem estar guardadas para o Brasil em um futuro muito próximo. E eu não quero que isso ocorra. Como eu não torço pelo pior melhor, não quero que esse passivo seja debitado na conta do Partido dos Trabalhadores.

Daí por que nós estamos a favor do projeto. Ele deve ser aprovado. O Brasil deve ter esse papel de destaque na economia mundial. Concordamos com isso. A Oposição, mais uma vez, cumpre o seu papel, quando é chamada a ajudar a sociedade brasileira.