Dias contados

14 de Abril de 2016

Quanto mais se aproxima o dia da votação do impeachment, mais o governo petista sente que seus dias estão se acabando. Se para eles o dia 17 de abril vai ser um dia a ser esquecido, para a grande maioria dos brasileiros vai ser um dia a ser festejado. “Para o Democratas, que sempre combateu … Continue lendo Dias contados

LPA14

Quanto mais se aproxima o dia da votação do impeachment, mais o governo petista sente que seus dias estão se acabando. Se para eles o dia 17 de abril vai ser um dia a ser esquecido, para a grande maioria dos brasileiros vai ser um dia a ser festejado.

“Para o Democratas, que sempre combateu os desmandos do PT, o 17 de abril será sempre uma data a ser rememorada”, destaca o líder do partido na Câmara, deputado Pauderney Avelino (AM). “O DEM foi o partido que, desde o primeiro momento, se colocou como forte opositor do jeito petista de governar”, acrescentou. “Quando muitos se furtaram de fazer oposição, o Democratas carregou a bandeira dos muitos que desaprovavam os desmandos e desvios que o PT mostrava desde o início de sua gestão”, lembrou.

A dois dias da votação no plenário da Câmara, o desespero do governo fica evidente na tentativa de comprar votos e consciências. Porém, com o fim eminente, ninguém quer colar sua imagem a um partido em descrédito e uma presidente incompetente. Sem contar que, por trás do balcão de negócios montados pelo governo para tentar manter-se a todo custo no poder, está justamente o homem apontado por muitos como o grande chefe do esquema. Nas palavras do deputado Onyx Lorenzoni (RS), Lula é o “capo di tutti capi”.

Com os números favoráveis ao impeachment crescendo diariamente a uma velocidade muito superior às adesões ao governo, Dilma já admite que pode virar “carta fora do baralho” e muitos governistas já começam a jogar a toalha. Até o fechamento desta edição, projeções da contagem do impeachment variavam de 337 a 364 a favor e apenas 127 a 132 contrários.

Como se vê, os dias de desmando do governo Dilma/PT estão acabando e passarão à história como um período de retrocesso em vários aspectos. “Foram anos de equívocos e escândalos”, argumentou Pauderney. “Mas agora acabou: é impeachment já!”, finalizou.

 

Agência Liderança nº 711 quinta-feira, 14 de abril de 2016

01 de Janeiro de 1970

Abrir

PETISTAS: “METAM O RABO ENTRE AS PERNAS!”, diz líder do DEM

06 de Abril de 2016

PETISTAS: “METAM O RABO ENTRE AS PERNAS!”, diz líder do DEM Pauderney Avelino na segunda parte da entrevista à jornalista Joice Hasselmann

PETISTAS: “METAM O RABO ENTRE AS PERNAS!”, diz líder do DEM Pauderney Avelino na segunda parte da entrevista à jornalista Joice Hasselmann

“AGORA É IMPEACHMENT!”, diz líder do DEM

01 de Janeiro de 1970

“AGORA É IMPEACHMENT!”, diz líder do DEM em entrevista à jornalista Joice Hasselmann

“AGORA É IMPEACHMENT!”, diz líder do DEM em entrevista à jornalista Joice Hasselmann